Arquivos | Resumo e interpretação de Filmes Gastronômicos RSS feed for this section

Julie e Julia

18 abr

A responsável pelo direção e escrita do filme é Nora Ephron, que se baseou no livro da bibliográfico da própria Julie Power, cujo recebeu “Blooker Prize” em 2006 com o mesmo.O título simples porém original do livro dá o nome ao filme, cujo recebeu várias indicações,inclusive para o oscar:melhor atriz para Meryl Streep.
As atrizes principais são : Julia Child( Meryl Streep), Julie Power (Amy Adams) , Paul Child( Stanley Tucci) e Eric Power (Chris Messina).
O encanto dessa junção das duas histórias tanto do livro quanto no filme é o fato de ser contada ao mesmo tempo,um pouco comparativamente, mesmo com a distância das décadas.
Quando Julia Child( Meryl Strep) saboreia o seu “menu”,um Poisson (Linguado) ao “Créme du Beurre” , Linguado ricamente regado a um maravilhoso creme de manteiga,ela até se emociona com o sabor deslumbrado ao lado seu companheirímo marido,um diplomata recém chegado do E.U.A ; por causa da diferença do idioma e da distância do seu país de origem,ela sente deslocada e precisa de uma ocupação ,confessa a paixão pela comida para ele e acaba tendo a ideia de fazer um curso de gastrônomia.
E por outro lado Julie Power (Amy Adams) é obrigada a mudar de apartamento, indo morar num local distante dos amigos e do trabalho, tem um emprego sem grandes perspectivas e por isso está descontente com a vida.
A ideia de Julie surge logo após o encontro com suas amigas antigas, lá ela se sente inferior profissionalmente em relação as,seguindo os passos de sua amiga

Uma blogueira de sucesso, como ela também chega a conclusão com o seu marido, o seu amor pela comida, e automaticamente, para ficar mais emocionante resolve fazer um desafio para ela mesma:realizar as 524 receitas do livro de Julia Child,a primeira americana a introduzir a cozinha francesa na América,em 365 dias.
É dado o “start” e nossa heroína começa o projeto chamado “Julie e Julia”, em seu blog ela mistura da execução as receitas e as histórias das duas personagens-títulos.
Logicamente Julie Power tem talento para escrever,se não nada disso seria possível,pois seu blog começa ter vários acessos e comentários, sendo um sucesso crescente dia após dia…
Entre receitas e histórias as duas têm obstáculos e dificuldades,porém nenhuma das duas desistem de seus objetivos, Julia Child tem o problema com a língua e com o preconceito de ser mulher, pois na França na época quase todos os Chefs e aprendizes eram homens,e Julie Power é prensada pelo tempo restrito e pela cozinha pequena e não muito funcional e por causa do stress de sua vida ela quase rompe com seu marido.
Na vida de Julia, após o aprendizado, ela pensa em dividir com outras americanas, primeiro ela começa dando curso e com o tempo ela é convidada a fazer um livro de gastronomia em inglês! Com a ajuda e estímulo de seu marido, ela começa as experiência para a contrução da novo propósito

Foram muitas comidas queimadas, alimentos jogados no lixo, muitas receitas que não deram certo,inúmeros testes, porém as duas têm propostas parecidas consigo mesma, e o amor pela cozinha as ajuda fortalecer seus projetos, a persistência pelas metas; As duas protagonistas não desistem em momento algum, mesmo com todos os obstáculos que aparecem.
Gloriosamente o blog de Julie é um sucesso,vira livro que vira filme e Julia realiza seu sonho de aprender realmente cozinhar gastromicamente,escreve o primeiro livro francês para as mulheres americanas, é convidada para apresentar um programa de televisão e ocasionalmente graças a Julie sua vida também é transformada em filme.
Resumo
É um livro imprescindível para os amantes de gastronomia, mas vai fazer muita gente se apaixonar, mesmo para os leigos no assunto. As histórias são deliciosas, divertidas, engraçadas,apaixonantes e deliberadamente nos ensina a lutar por nossos objetivos, por mais complicados que sejam.
Comparando as duas, em relação com o ao tempo e a época ,temos o contraste de Julia ter sido pioneira na sua vida época,com isso não tinha muita concorrência, mas para abrir uma coisa nova existe o medo que nos atrapalha, e isso ela não teve ; Já Julie enfrentou muitos concorrentes, falta de tempo ,mas já tinha a chave do caminho o livro de Julia como meta e desafio.
Para qualquer coisa que se faça ,deve ser feito com amor,e na cozinha, isso deve ser dobrado quando se trata se fazer comida,pois o que passa é também é o sentimento para o que estamos preparando.

Confira este vídeo no YouTube:

Julia x Julia
Kkkkkkk

Confira este vídeo no YouTube:

20130418-231553.jpg

20130418-231603.jpg

20130418-231613.jpg

The Ramen Girl ,O sabor de uma paixão .

18 abr

Seu título original é “The Ramen Girl” ,foi feito em 2008,duração 108 minutos,deliciosa comédia com um final de romance,porém com algumas partes de drama;atriz principal é a loira Brittany Murphy(Abby) ,os atores principais são Toshiyuki Nishida(Maezumi),Gabriel Mann(Ethan) e Sohee Park (Toshi Iwamoto) ,seu diretor é Robert Allan Ackerman.
Abby vai em encontro do namorado Ethan a Tóquio ( Japão),mas ele sem nenhuma piedade a larga sozinha, abandonada sem saber nem a língua e nem nada do país,completamente perdida e desestruturada, ela começa observar ao redor de seu pequeno apartamento, numa noite de chuva ela resolve ir num pequeno restaurante vizinho que serve uma espécie de sopa com macarrão, o famoso” Lamén”.
Quando ela entra no local, percebe os efeitos da comida nos clientes, se apaixona por essa magia, levando Abby se interessar descobrir o segredo do “Lamén”. O patrão, Maezumi,um homem de personalidade forte, díficil e autoritário, tenta desmotivá-la,porém é inútil,pois a garota está determinada a aprender o ofício.
Após muitas dificuldades em todos os sentidos: idioma( pois o chef não fala inglês e ela não fala japonês), a falta de habilidade dela na cozinha,o excesso de trabalho de limpeza que ela é obrigada a enfrentar todos os dias.
Enfim, após um ardúo trabalho de conquistar o patrão e ainda por ser abandonada pelo novo namorado japonês, ela consegue conquistar o direito de aprender a gastronomia japonesa. E ela o faz, no entanto tudo não é tão fácil!
O detalhe do “Ramén” não é uma culinária normal, pois o ingrediente principal é ter que se trasmitir seus sentimentos para a comida elaborada,e isso não é só medir as medidas da receitas. E segundo essa teoria muitas panela cheias são jogadas ao lixo.
Depois de várias tentativas, numa noite que o chef é obrigado a sair, ela aproveita a situação e faz seu lamém com sua tristeza embutida e serve aos clientes, quando esses provam todos começam a chorar suas tristezas mais íntimas, e nisso Maezumi entra e se surpreende com a cena, percebendo que a pequena aprendiz compreendeu o recado.
No meio de toda a choradeira, Abby descobri a tristeza da esposa do chef e dele próprio, é simplesmente que seu único filho adora a gastrônomia,mas não quis ser seguidor de seu pai e foi estudar com os grandes chef da França.
Para total alegria de Abby, seu namorado japonês resolve largar do seu emprego para seus braços, ele encontra a nova chef de “lamén”em pleno exercício de sua profissão no seu restaurante novo,que foi no qual ela a aprendeu tudo,pois o seu ex mentor aposentou-se e é obrigado a deixar alguém aprovado pela comissão dos restaurantes de “lamén”.

Resumo
É um filme bárbaro,mesmo para quem não goste de gastronomia,pois a base é muito parecida com o famoso Karate kid,sucesso de bilheteria dos anos 80; O filme é literalmente agrega o amor a cozinha e ao ato de aprender e ensinar.Abby, a papel principal,é preciso passar por vários mal “bocados” antes de começar a aprender a almejada profissão.
O enredo se dirige a gastronomia, a partir do momento que Abby é deixada pelo namorado, e entra no pequeno restaurante de “Lamén”,ela lembra de seu passado, cujo ela nunca termina o que começa, e com a solidão e a desespero de ter sido abandonada,resolve a todo custo aprender a maravilhosa cozinha japonesa.
O maior aprendizado, nos olhos gastronômicos, é o aprender a fazer a comida passando o sentimento para o prato, e é isso que o filme transmite e não só cortar ou selecionar os alimentos para uma receita e sim como a elaborar.
O amor, o respeito que é passado para o prato é mais importante no aprendizado do seu Chef professor tirano, possibilitando o entendimento entre eles pois nenhum dos dois compreenden um a língua dos outros.

Confira este vídeo no YouTube:

Melhores cenas do filme:

http://youtu.be/cAwgswOQJBo

20130418-214726.jpg

20130418-214747.jpg

20130418-214756.jpg

Comer, rezar e amar

16 abr

Comer, Rezar, Amar da autora Elizabeth Gilbert,342 páginas,Editora Objetiva, 2010. Eu realmente me interessei pelo livro pelo tema ser comida,apesar de o mesmo estar presente em todas as listas de mais vendidos e eu não gostar disso ,normalmente eu ignorava-o quando via na livraria, mas minha prima me deu de presente e quando fui numa viagem de avião, o filme estava na lista daquela televisãozinha, de graça e super comodo,pensei,acho que Elizabeth Gilbert quer realmente que eu saiba de sua história , então vamos a ela: Este livro é uma espécie de livro de memórias viva. Uma espécie de “diário íntimo” . A autora narra o fim do seu casamento, sua destruição emocional e financeira para viver livre desse furacão aos 30 anos,para isso ela larga tudo :posses,emprego . E a grande ideia é conseguir realizar a aventura de um ano viajando pela Itália, Índia e Indonésia. Ambos são característicos pelo título do livro: Comer (Itália), Rezar (Índia) e Amar (Indonésia). Então podemos ter noção desses países divinos .
Na Itália ela começa querendo aproveitar toda a gastronomia (minha parte favorita), estudar a língua italiana,isso em Roma,a qual ela julga ser a mais romântica e sonora de todas. Ela encontra com vários tipos de amigos de várias nacionalidades, engorda quilos depois de tanta massa e mas se sente satisfeita e sem remorso por ter engordado tanto. Ainda sim, ela se sente mal pelo relacionamento
Ela encontra com vários tipos de amigos de várias nacionalidades, engorda quilos depois de tanta massa e mas se sente satisfeita e sem remorso por ter engordado tanto. Ainda sim, ela se sente mal pelo relacionamento que a acabou nos Estados Unidos, e o o relacionamento que não deu certo após ele.
Segundo a sua póstuma Guru, e o próximo país da aventura é India, onde pretende estudar seu próprio interior e se encontrar.
De alguma forma se sentir bem com que ela é e encontrar algo mais. É um passeio espiritual, religioso e espirutual, nessa parte a autora prega e fala muito consigo mesma,tornando a parte da viagem indiana torna-se um pouco cansativa para o leitor.Chegando a Indonésia é a parte onde é mais leve e engraçada,pois em Bali ela não esperava nem aprender idioma e nem ter que seguir uma religião.Mais aberta para a vida depois dos dois primeiros estágios ,Elizabeth Gilbert encontra o amor justamente nos braços de um “caliente ” brasileiro. O livro segue litigiosamente segundo o seu título e de uma mulher sem medo de arriscar, tipicamente um livro muito aceito para mulheres que sonhar em fazer o mesmo.

Resumo By Chouchou
Em relação a gastronomia esse livro na Ítalia,realmente dá fome,uma ótima publicidade para a culinária italiana e uma vontade de aprender a cozinhar para todos os leitores “goumant”,acredito.
A autora- personagem Elizabeth Gilbert cita cappucinos,sorvetes,pizzas de Nápoles, muitas e muitas massas,bruchettas e entre outros e ainda uma harmonização com os vinhos maravilhosos da Ítalia.
O livro foi inspiração para muitos cardápios: restaurantes,sites,jornais,revistas, festas, todos interessados em aproveitar a propaganda natural do sucesso do livro,afinal, no livro que possuo está escrito que foram vendidos até 2011,8 milhões de exemplares.
Em relação a Índia e Bali, respectivamente,rezar e amar,para a gastronomia não é importante,porém culturalmente é.
Num apanhado geral,o livro é um pouco cansativo na segunda parte,apesar de eu adorar religião, já na Indonésia encontra o equilíbrio em Bali,conhece seu melhor amigo,um xamã,que lhe ensina meditação, achei interessante,em idas e voltas ela tromba literalmente com seu atual marido brasileiro.É um livro típico de heroínas americanas.

Confira este vídeo no YouTube:

20130416-112701.jpg

20130416-112710.jpg

20130416-112715.jpg

20130416-112724.jpg

20130416-112732.jpg

20130416-112740.jpg

Ratatouille

16 abr

Esse desenho de 120 minutos, feito pela PIXAR, dirigido por Brad Bird, lançado em 2007 nos Eua, onde também ganhou o Oscar em 2008 como melhor filme de animação. As vozes foram escolhidas a dedo,seu personagem principal o ratinho Remy ganha a de Patton Oswalt, o pai de Remy recebe a voz de Brian Dennehy e a voz do Chef Auguste Gusteau é de Brad Garrett.
O ratinho Remy mora na casa de uma velhinha que também gosta de gastronomia, além de seu olfato e talento apuradíssimo, ele aprende muito nos seus livros de culinária e eles assistem vários programas do tema, inclusive sendo um dos autores e ídolos preferido é o chef Gusteau, dono de uns do melhores restaurantes julgado pela crítica da França.
Numa certo dia, o ratinho francês assiste ao programa ao vivo que o chef Gusteau está morto e por coincidência nesse dia a dona da casa o descobre, e a confusão está armada, seu pai,chefe da aldeia dos ratinhos da região , chama a todos para ajudá-los,e na saída da casa,Remy acaba se perdendo do grupo e acaba indo parar à Paris,justamente no restaurante do falecido cozinheiro.Quando ele se depara onde está, tem calafrios de prazer!
Observando escondido a brigada trabalhando ,ele se depara com um novo funcionário contratado para a limpeza,o Linguini,atrapalhado acaba derrubando uma parte de uma sopa, para conseguir refazê- la, misturando sem noção nenhuma um pouco de tudo, apavorado com a cena ele aproveita a situação de estar sozinho na cozinha e põe seu bom gosto em execução.
Linguini pega o ratinho em flagrante, e no meio de toda a confusão,não consegue brecar a sopa de ser servida no salão.Quando o “maître” retorna e diz a adoração dos clientes pelo prato; aparentemente o chef pensa que foi Linguini o feitor da sopa e este é obrigado a repetir a mesma ou Irá perder seu emprego, onde acabara de começar.Com isso é obrigado a fazer uma dupla com o verdadeiro cozinheiro da sopa, Remy, este se esconde na touca de Linguini e por sinais ensaiado por puxão nos cabelos, e com isso eles começam a fazer a alta gastronomia no restaurante de Gusteau.
Por acaso do destino, o ratinho descobre que o falecido Gusteau,é pai de Linguini.Após essa descoberta e com a fama recebida pelos dotes de Remy, a personalidade do jovem empresário começa a mudar e ele se obrigado a contar seu segredo aos outros funcionários, estes acabam o deixam sozinho justamente quando o deixam o deixam,justamente quando um renomado crítico gastronômico, Anton Ego, resolve visitar o restaurante. Neste dia, o Remy pede ajuda a seu pai,que o socorre trazendo muitos e muitos solidários ratos para trabalhar na cozinha, o chef faz como
Prato para o crítico um “Ratatouille “,um prato simples porém com o requinte de Remy, quando o mesmo se delícia com a comida,teve diretamente lembranças de sua simples infância e isso o emociona totalmente, logicamente ele quer parabenizar o chef, e espera até o últimos clientes partirem.

Anton Ego,chocado em saber que melhor cozinheiro da França era um rato, promete guardar segredo,o restaurante é fechado pela vigilância sanitária por causa da qualidade de ratinhos.
Linguini,com sua namorada e ex cozinheira, mais a o melhor chef da França abrem um pequeno restaurante chamado Ratatouille, cujo é o nome do filme.

Resumo
O filme é uma obra de arte em todos sentidos,os detalhes da cozinha,do salão, as receitas foram muito bem elaboradas minuciosamente,dando magia e perfeição.
Uma parte interessante, para meu ver,é quando o Remy usa a explicação de uma boa gastronomia é quando justamente a combinação, a harmonização dos gostos, ao fato dele combinar o morango, quando ele usa as ervas, ou mesmo quando ele se explode na chaminé somente para defumar seus alimentos.
Um lado triste do filme é com a existência dos críticos, faz muita gente realmente entrar em desespero, é muito difícil para um dono de restaurante perder uma estrela,como foi o caso Gusteau, que supostamente se matou por isso; Existe uma história verdadeira muito parecida, um dono de restaurante se suicídou quando leu no jornal francês , Lê Monde, que havia perdendo uma estrela e na verdade isso não havia acontecido, porém era tarde e ele não estava mais nesse mundo.
E a outra coisa que o filme passa é o fato que é preciso muito parecida mais do que somente técnica para se poder fazer uma alta gastronomia.
O filme:

20130416-021405.jpg

20130416-021412.jpg

20130416-021419.jpg

20130416-021438.jpg

20130416-021450.jpg

20130416-021512.jpg

A garçonete

15 abr

Assunto: Garçonete
O filme Garçonete (título em inglês” Waitress”) com 107 minutos, 2007,Eua,de Adrienne Shelly, que também tem participação no elenco do filme,ela faz o papelFilme( Dawn)uma das melhores amigas da personagem tema do filme,a Jenna (Keri Russell ); Ela é casada com Earl (Jeremy Sisto ), um homem possessivo ,grosseiro e controlador, o sonho dela é livrar se dele e ganhar 25mil dólares num concurso de fazer tortas,mas sem dinheiro ou apoio, vai esperando os dias passarem.
Numa certa noite ele a embebeda e tem uma relação sexual com ela,que acaba ficando grávida, para aumentar os seus problemas.
O papel-título dela vem pois ela trabalha numa pequena lanchonete, típica de cidade pequena do Eua; e é ela que dá vida com suas criativas receitas e temas das guloseimas. Trabalham ainda no lugar duas outras garçonetes, as três são muito amigas e confidentes.
O interessante do filme é quando, conforme as coisas vão acontecendo na vida de Jenna, ela cria as tortas, e no filme mostra a montagem da mesma, enquanto a personagem anuncia o título escolhido,e sempre os ingredientes combinam com os temas, esses normalmente são Hilários, compridos como”Não posso ter uma relação porque é errado ” ,esse tema é quando ela se apaixona pelo seu médico ; E às vezes tristes e deprimentes tais como exemplo: ex: quando ela descobre estar grávida de seu insuportável marido,ela faz uma torta chamada “Não quero ter o filho de Earl “
Por falar no médico, Dr Pomatten, é por ele que ela se apaixona localmente e ela é correspondida, gerando ainda mais problemas
E dúvidas na cabecinha da moça, quando ela chega no consultório, admite está triste por ter o bebê, que não quer congratulações e nem nada de por menores sobre a gravidez, e ele fica atônico mas a respeita,mas por outro lado, ela faz a dieta e se preocupa com a saúde.
Um outro momento triste do filme é quando ela começa escrever cartas para o futuro filho, sobre seus problemas, suas angústias, sua vontade de fugir e mesmo que não quer está feliz com a chegada dele…
Na lanchonete, existe mais duas garçonetes, existe uma amizade cumplicidade muito grande entre elas com Jenna, todas fazem bem o trabalho,mas ela sabem que talento para inventar e fazer as tortas são coisas para a amiga grávida, está acaba se destacando,adquirindo vários clientes fiéis, entre eles um velhinho, amigo e confidente, mesmo conhecido como rabugento, Joe é muito carinhoso com Jenna, e em uma cena pede a “Torta Especial da Jenna, Oásis de Chocolate e Morango” e diz que a quarta feira é um dia especial pra ele porque ele come um pedaço desta torta. “Penso nisso quando acordo. Essa torta resolveria todos o problemas do mundo”.

Outro momento bonito e apaixonante é quando o dr Pomatten, acarecia e observa a barriga de Jenna com respeito e amor, mesmo sabendo que o futuro filho da mulher amada não é dele.Apesar do envolvimento sexual, esse é o lado que deixa ela nas nuvens, mas isso acontece pela falta de carinho de seu esposo.
Depois de muitas turbulências, nossa sofrida menina,Jenna acaba dando a luz a uma linda menina, pela qual se apaixona, e promete a filha,que nunca ninguém irão separá – las. Ainda no leito do hospital,ela recebe uma carta presente de seu velho amigo Joe, com cheque razoável bom para ela poder montar sua própria lanchonete de tortas maravilhosas. Ao partir do hospital, ela se depara para sua própria decepção, com o seu apaixonado médico acompanhado de sua mulher, também médica.
Jenna resolve ficar sozinha e cuidar de sua filha ao lado de suas amigas, trabalhando em sua própria lanchonete.

Confira este vídeo no YouTube:

20130415-101450.jpg

20130415-101456.jpg

20130415-101505.jpg

20130415-101514.jpg

Simplesmente Martha e Sem Reservas

15 abr

É impossível não fazer a comparação pois a história é absolutamente a mesma, a diferença está na época, nos atores, no local onde acontece os filmes e no enfoque do filme. Com o principal é o tema de gastronomia, somente o grau explorado é diferentes, pois na primeira versão alemã :simplesmente Martha o gastronomia é o tema principal e na segunda versão a americana : Sem reservas a gastronomia em segundo plano.
Vamos as Fichas Técnica: Simplesmente Martha,Título Original: Bella Martha,Alemanha, 2001,105 min; Comédia,Direção de Sandra NettelbeckRoteiro de Sandra Nettelbeck; Elenco: Martina Gedeck, Maxine Foerste, Sergio Castellito, August Zirner, Sibylle Canonica, Katja Studt, Antonio Wanneck, Idil Üner, Oliver Broumis, Ulrich Thomsen.
Sem reservas, Título Original: No Reservations ,em francês “Le Goût de la vie”, Gênero: Comédia Romântica(não concordo muito, pois chorei demais), 110 min, 2007, Eua;Direção: Scott Hicks; Roteiro: Carol Fuchs, baseado em roteiro de Sandra Nettelbeck e elenco: é o regresso da atriz Catherine Zeta-Jones ao cinema, Abigail Breslin, Aaron Eckhart e Patricia Clarkson.

Na versão alemã, os personagens são mais intensos, pertinentes, como evidenciado, por exemplo, pela relação entre Martha e a sobrinha Lina. Enquanto Kate Armstrong, a protagonista do filme norte-americano é, desde o início, carinhosa com a sobrinha, Martha demonstra resistir emocionalmente até mesmo dar carinho a Lina, demonstrando, sutilmente, dificuldades em se integrar com qualquer pessoa. Na versão norte-americana, as transformações dos personagens e, principalmente de Kate,é mais carinhosa , talvez pela diferença das culturas, pois os alemães passam mais frieza num primeiro instante; Por isso, não é tão simples perceber as transformações dos personagens e a relação de tais transformações com os alimentos. Talvez por isso a relação com comida no primeiro filme é mais mais forte do que no segundo!
Na primeira versão Sem, por ser na Europa, usou um verdadeiro italiano e como Martha é alemã, já na versão americana, um americano que morou e somente e aprendeu a cozinhar na Itália. Então na primeira o choque cultural é grande, já na segunda não é tanto pois os dois têm a mesma origem.
A história,na verdade é mais um daqueles filmes romances básicos “No começo te odeio, mas no final vou te amar”, não têm muita novidades, mas para a turma gastronomia é bem produtivo,pois mostra bem como é uma cozinha profissional. Nos dois filmes, as duas são exigentes com os outros e principalmente com elas mesmas, são ótimas profissionais, vivem para trabalho e não têm tempo para a vida Privada.
Por causa do perfeccionismo, as chefs não entendem quando alguém não apreciam seus prato, na cena alemã que realmente mostra o caráter forte da chef Martha é quando alguém fala mal de teu “Foie gras “, ela entra no salão e confronta o cliente com muita raiva ; No americano, Kate, entra irritada com um steck enorme e cru espetado num garfo gigante, pois o cliente tinha reclamado da cocção da carne duas vezes… Nas duas versões as que as donas dos respectivos restaurantes são obrigadas apaziguar as discussões.
Por causa dessa personalidade forte,Martha e Kate são obrigadas a fazerem terapia para conseguirem melhor convívio com as pessoas e colegas de trabalho, a cena do terapeuta (Bobo Balabom) é verdadeiramente uma aula de culinária, pois elas não tem outro assunto, e acabam falando minuciosamente todos as receitas, o médico acaba irritado e com muita fome. No filme americano, é muito interessante e mostra a falta de tato para a vida quando Kate diz- “Eu gostaria que existisse um livro de gastronomia para a vida, com receitas que O filme realmente começa nas duas versões quando as recebem um telefonema que sua irmã, mãe solteira, morreu, deixando uma sobrinha para elas cuidarem. Com a fragilidade da situação, Zoe, a órfã não se habitua com o casa e nem com os costumes da tia, e por “cargas do destino” e também para dar enredo aos filme, ela não consegue comer a comida de sua tia , adepta confessa de “fast food”e não de alta gastronomia.
Conseqüentemente, nas duas versões elas precisam se ausentar do restaurantes por causa da sobrinha é ilha daí quando a proprietária contrata um novo chef para integrar na brigada, tanto no alemão quanto no remake, os dois tem a mesma personalidade sendo completamente diferente de Martha/Kate, eles são bem humorados,gostam de trabalhar com música, apreciam mudanças, deixando a ambiente mais leves. Com o retorno das chefs no trabalho, é quando elas entram na cozinha e encontram todo um aparelho tocando ópera… É ilária a cena…Elas quase possuem um colapso nervoso; Ali o história do amor e ódio começam pois os confronto são diários.
Para a pequena órfã não ficar sozinha em casa, ela é carregada para o trabalho da tia, e acaba se simpatizando com o jeito espontâneo do subChefe “italiano “, por saber a dificuldade de se alimentar da menina, numa preciosa cena ele estimula a comer um espaguete,de uma maneira extraordinária. E isso conquista o coração da Chef, e o interesse menina por ele faz despertar também das tias nos dois filmes.nos dissessem exatamente o que fazer em situações dessas”.
O personagem meio avesso a regras e muito criativo, que se juntou ao estafe de sofisticado Restaurante , que é comandado por elas, na verdade acaba conquistado a todos, porém por causa de um desentendimento maior,resolve se demitir, mas por pressão da patroa, Kate/Martha são obrigadas a pedir desculpa para o moço, que conseqüentemente este fica a trabalhar.
Á partir daí o romance é inegável, os trios( tia, sobrinha e subchefe) se harmonizam com jantares, passeios e tudo muito em torno de uma deliciosa gastronomia. As vidas das duas chefs( tanto na alemã quanto na americana ) são transformadas, o temperamento muda, elas conseguem ultrapassar ainda o problema maior delas que era comer o que cozinhavam, pois antes, o personagem delas não tinham prazer nenhum non seus próprios pratos, cozinhavam para os outros.
Logicamente com dois bos filmes, terminam com finais felizes, eles saem do chique restaurantes, e abrem um restaurantezinho simpático, simples e aconchegante.
Resumo
Nos dois filmes gira praticamente em torno da cozinha, na versão alemã e a influência é ainda é maior do que na versão americana, cozinhar além de ser consideradas por elas uma arte,disciplina e próprias vida delas. Pois no começo da história, as cenas são praticamente todas no restaurantes, o que comprova a citação anterior.
A precisão de como elas fazem o “menus” é fabulosa, a dedicação milimetrada nos pratos, as preocupações com a harmonização e acima de tudo o respeito da hora do entregue da comida no salão.
O lado triste de quando uma pessoa pode se transformar quando acha que não pode ser julgada e sempre está correta,isso a inibe qualquer um de aprender mais na vida em qualquer situação.
A falta de prazer das duas chefs para comer degustarem suas próprias deliciosas invenções, isso é por acaso que no começo do longa metragem, elas só enchergam a comida como alimento para o corpo e esquecem que são também importantes para a alma.
O enredo da história mostra como é importante não somente a perfeição rígida ,mas também num bom ambiente de trabalho, todo mundo pode produzir mais quantidade e melhor qualidade, obviamente causando mais prazer de trabalho de um lado e mais lucro para o outro.
Num mesmo foco,o fato da menina a deliciosa comida da tia, significa que é preciso mais que cozinhar bem para agradar! Precisa se de uma espécie de um “carisma culinário” e de uma transmissão de carinho quando se cozinha.

Simplesmente Maria:
Vídeo

http://www.videodetective.com/movies/mostly-martha/630668#.UW0cgyIZHuQ.mailto

Sem reserva :
Vídeo 01
Confira este vídeo no YouTube:

Vídeo da cena do Bife( Bárbara )
Confira este vídeo no YouTube:

20130415-095939.jpg

20130415-095948.jpg

20130415-095955.jpg

20130415-100006.jpg

20130415-100016.jpg

20130415-100027.jpg

20130415-100039.jpg

20130415-100108.jpg

A festa de Babette

14 abr

Seu título original é Babettes
Gaestebud,foi feito em 1987, em Dinamarca, com duração de 102 minutos em dinamarquês e francês, seu diretor foi Gabriel Axel ,elenco : Stéphane Audran; Brigitte Federspiel; Bodil Kjer; Jarl Kulle; Jean-Philippe Lafont ; O filme ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 1988 entre outros também importantes.
A festa de Babette é literalmente uma obra de arte na história da gastronomia, foi o primeiro que assisti por causa da faculdade,mas por ter achado complexo está quase sendo um dos últimos a fazer o resumo. É uma mistura de arte, gastronomia e feitiçaria.
Babette (Stéphane Audran), o papel principal do filme , foge da guerra que a França, na casa das solteironas e antigas, Martina e Philippa (Brigitte Federspiel e Bodil Kjer), filhas do então falecido pastor e da cidadezinha perdida na Dinamarca.
Quando Babette chega a cidadela percebe o tipo de local sombrio e triste, oferece se de trabalhar na casa das duas irmãs,que dizem logo não poder pagá-la, porém esta se contentará como salário, a moradia e comida.
A partir do momento que Babette começa cozinhar, pois mesmo com a falta de recursos necessários, o seus dotes culinário são percebidos, ao engrossar uma simples sopa, escolhendo peixes frescos ou fazendo boas combinações com simples ingredientes.
O roteiro realmente começa quando ela ganha na loteria, resolve contar isso e sobre o seu passado as irmãs, que havia sido chef do famoso parisiense café Anglais, mas não falara nada sobre o futuro pois realmente ela mesmo estava em dúvida! Depois dessa conversa, as duas solteiras pensam que após prêmio do dinheiro recebido, Babette deixaria o lugarejo e voltaria a glamourousa Paris.
Mas no entanto ela pensa sozinha e resolve fazer uma festa na casa que foi acolhida a quase doze anos atrás, em homenagem ao aniversário da morte do pastor, pais das duas. Surpreendidas e assustadas com a notícia, as duas não sabem se aceitam ou não sabem tal imperdoável luxúria, pois como todos da aidéia, elas tinham uma ideia de tudo que fosse prazeroso era vindo do pecado. Por causa desse tipo de pensamento delas e os dos outros moradores do vilarejo abdicavam-se de muitos.
No passado, na época de seu pai, Martine abriu mão daquilo que gostava e fazia bem, o cantos líricos e Felipa era frustrada por não ter se casado com seu eterno amor, o militar Lorenz.
Em uma reunião com todos os convidados para o banquete de Babette, resolveram aceitar, porém com a condição entre eles de não sentirem prazeres com os comes e bebes. Dentre eles o único convidado de fora,que não participou desta foi o hoje general 7+ Lorenz, o ex da filha do pastor.
Com a permissão das duas irmãs, Babette começa encomenda os ingredientes, as bebidas e os utensílios necessários, pois para um verdadeiro banquete, foi preciso comprar tudo. Quando o navio chega com o material, todos se surpreendem com o volume e principalmente com a tartaruga gigante viva. E nossa chef de cozinha francesa começa se realizar com as preparações.
A cena dela na realização das receitas é uma delícia de assistir, limpando e arrumando as codornas, cortando e montando os”vol au vent ” uma espécie de caixinha feita com camada de massa folheada ,tirando os blinis do fogo, a perfeição das texturas dos molhos, a temperatura das bebidas e maravilhosa posição da mesa posta.
Quando os recatados chegam ( todos unanimemente vestidos de pretos, menos o general Lorenz ) ficam boquiabertos com a as arrumações do local, todos sentam em seus lugares marcados, e com a ajuda de um garoto, Babette finalmente começa o seu banquete.
Como já foi falado sobre o trato dos convidados não poderem sentirem prazer com a comida e nem com a bebida, o único comentário é feito pelo general, também ele era o único a conhecer as iguarias do Café Anglais.
No jantar foi servido aos 12 convidados foram a Soupe de Tortue Géante (Sopa de Tartaruga Gigante)Blinis Demidoff (creme azedo e caviar, se possível Beluga)Cailles en Sarcophage (codornas com trufas e foie gras)Salade de Crudités (salada de folhas e legumes)Fromages (queijos curados variados)Baba au Rhum (bolo embebido em calda de rum)Fruits Frais (frutas frescas variadas) e as bebidas foram brilhantemente harmonioso . Servir caviar e champagne , depois do tamanho exotismo da sopa. O Xérès (grafia francesa para Jerez) Amontillado acompanhando o prato, foi outro já que trata-se de um vinho fortificado, Continuando ; O Blinis entre a sopa marcante e as cordornas ricas em sabor ; A salada em seguida, faz uma boa pausa antes daqueles queijos fortes de sabor. Já a sobremesa, trouxe as frutas . Finalizando o jantar fora da mesa de refeição, foi servido café moído na hora , Marc de Champagne ; É uma espécie de grapa com o bagaço das uvas de Champagne; Quanto aos dois grandes vinhos safrados Já o Grand Cru Clos de Vougeot.
Durante todo o jantar os comentários foram somente o do general, os outros 11 permaneceram quase mudos, porém os olhares diziam toda a aprovação e êxtase, pois não somente pelo álcool, mas pela magia da comida de Babette, todos e o filme muda de figura,como se por feitiço as pessoas começaram a mudar mesmo de semblante, e pareciam mais leve e felizes.Houve até música e todos sairam para fora de casa cantando. A ex Chef sabia que isso aconteceria, Ela conhecia seus poderes gastronômicos, agora ela realizada três vezes mais em sua vida, pois ela fizera pessoas conhecerem além dos velhos costumes da aldeia, Babette conseguiu retribuir o carinho que foi recebida anos atrás e também reacender seus verdadeiros dotes culinário ,pois para a artista que era,ficar esses anos longe do requinte acostumado, acredita se ter sido muito sofrido.
Resumo
A Festa de Babette é o marco da gastronomia “slow food “no cinema, o respeito que a comida e os convidados foram tratados desde o primeiro detalhe a compra das mercadorias e dos ingredientes, na escolha do menu e das bebidas , a colocação da mesa e o primordial como ela toca,corta e prepara as receitas.
A preocupação de Babette com a felicidade das pessoas,a magia que ela consegue passar para os pratos é notada logo quando as refeições começam a ser servida. O prazer dela poder realizar novamente o menu do Café Anglais, onde trabalhara realizadamente com Chef antes de chegar a Dinamarca.
Mesmo após ganhar na loteria, a dúvida veio em sua cabeça pois realmente é muito díficil “a volta” para um lugar depois de 13 anos de ausência, ela não sabia o que a esperava, nem as mudanças sobre sobre sua vida, pois após esse longo tempo na pequena aldeia dinamarquesa, ela também adquiriu novos hábitos e novas crenças, assim como havia passado coisas novas para os moradores, aconteceram trocas de culturas.
Outro ponto de vista é a vontade de agradecer, o medo de ser vista como mal agradecida pelas duas irmãs, pois quando ela mais precisou, foram elas que ajudaram. No entanto esse pensamento do retorno de Babette para Paris, foi o primeiro a passar na cabeça das duas.
Quando a ex Chef anunciou sua idéia de fazer o banquete, a surpresa foi muito grande, em relação ao fato dela não partir e logicamente o fato de toda a luxúria a ser gasta.
O mais interessante foi quando Babette disse que continuaria morando na casa delas, as filhas do pastor não tinham ideia do preço das coisas que Babette havia encomendado, pensando com a sobra ela voltaria para sua terra natal. Ledo engano o dinheiro ganho na loteria foi todo gasto com os produtos e o mais caro naquela época, o transporte.
Quando o jantar termina, a cena final é muito ambígua, pois o filme termina com a Babette sozinha na mesa da cozinha, tomando o último copo de vinho tinto , o rosto dela dá a impressão de realização de dever comprido, mas também o que aconteceria no dia seguinte do banquete. Se ela havia feito a boa escolha?

Trailler do filme:

Veja o filme , siga as parte do filme!
Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7

20130415-001133.jpg

20130415-001147.jpg

20130415-001330.jpg

Super Size

14 abr

Devia se chamar Mac lanche infeliz,porém o nome original é Super Size Me, no Brasil por ser americanizado, só foi acrescentado A dieta do palhaço como sub-título, sua origem: EUA,gênero: Documentário, 96 minutos,foi Lançado: 2004Direção e Roteiro: Morgan Spurlock , Seu elenco é Morgan Spurlock, Daryl Isaacs, Lisa Ganjhu, Stephen Siegel, Bridget Bennett, Eric Rowley,Mark Fenton, Alexandra Jamieson, John Banzhaf, David Satcher, Lisa Young, Kelly Brownell, Jacob Sullum, Tommy Thompson, William J. Klish.
É o homem foi corajoso, para enfrentar uma rede “hipermegagigante “como é o Mc Donald, o ataque é praticamente 85% contra a grande rede, e o resto dos 15% é contra uma série de coisas de “fast Food ” ,um pouco de tudo( restaurantes de escolas, fábricas de sorvetes, reportagem sobre refrigerantes, chocolates, balas e outras “petit” guloseimas que fazem mal a saúde ).
A idéia do diretor-produtor e cobaia Morgan Spurlock começou por causa de duas garotas que estavam processando a maior rede do mundo por ter engordado, mas estavam com dificuldades para provar isso,e com isso ele resolveu “comprar a briga”.
Morgan, pensa em tudo para fazer o documentário, primeiro ele prepara tudo certinho,talvez por isso que o projeto fez sucesso; Ele consultou 3 médicos(clínico geral, gastroenterologista e um cardiologista ) e uma nutricionista. Na primeira consulta antes de começar ele passa por uma baterias de exames,que mostraram que sua saúde era muito boa,para não dizer perfeita, somente para complementar, sua namorada é chef vegetariana especialista em produtos orgânicos.
Todos os médicos afirmaram que o aumento do seu peso, seu colesterol, seus triglicerídeos era inevitável, e normalmente os órgãos do corpos eram de fáceis de se regeneração. O fígado cuidaria da gordura extra e o rim do excesso de sódio consumido. A nutricionista também fez uma série de proposições para variação de seu cardápio.
Como todo jogo tem sua regra aqui estão as que Morgan foi obrigado a obedecer: Deve plenamente comer em McDonald’s três comidas por diaDeverá escolher cada item no menu do McDonald’s ao menos uma vez durante o transcurso dos 30 dias (fez em nove dias)Deve ingerir só os itens do menu. Isto inclui a água engarrafada.Deve escolher o tamanho “Super Size” de sua comida sempre que lhe for oferecido.Deve aceitar todas as promoções oferecidas para que ele compre mais comida que a intencionada inicialmente.Terá de caminhar a média que se caminha nos Estados Unidos, sobre a cifra de 5000 passos.
A largada é dada para a dieta do palhaço, durante o mês da experiência, ele visitou o Mc Donalds de 20 cidades americanas. Dentre elas as cidades mais” gordas” , das 9 vezes que as porções super size foram oferecidas, 5 foram no estado do Texas (e a primeira ele não agüentou comer inteira, depois de meia hora tentando acabar com o lanche, ele vomitou tudo). O estilo de vida americano, incluindo a dificuldade de se fazer as refeições em casa, fazem que 40% das refeições dos americanos sejam feitas fora de casa (1 em cada 4 americanos visitam um restaurante fast-food por dia. O McDonald’s representa 43% deste mercado).
Durante o intervalos dos dias da dieta, ele mostra reportagense e entrevistas com diversas pessoas dos mais diversos assuntos, mas todos relacionados a comida ou bebida é claro.
Documentários esses,mostram a quantidade de propagandas de alimentos de calorias vazias e não saudáveis, sempre fazendo comparações inteligentíssimas, e que infelizmente nos mostram a realidade.
Dia após dia, acontece uma mistura de “Mc sintomas”, ele sente náuseas, fatiga, muito gases, depressão, e ao mesmo tempo necessidade de voltar a comer ( vício ) e também a impotência sexual.Sua noiva , Alexandra Jamieson, é um testemunha para o fato de Spurlock ter perdido muita da sua energia e desempenho sexual durante a sua experiência.
Mesmo com com todos os problemas de saúde, seus elevados teores de gordura e carboidrato de sua dieta; seus amigos e família começaram a preocupar-se; sua noiva esteve muito nervosa com a situação ,e sua mãe brinca, porém nervosa fala se ele precisasse de um pedaço do seu rim, ela te daria.
O lado do vício, lógico que fast-food pode viciar, como uma droga, A rede do palhaço costuma chama as pessoas que consomem muito de seus alimentos de consumidores de “Pesos Pesados”.
E com o vício vem as consequências, junto com isso vêm muitos problemas sérios de saúde que podem ser causados pela obesidade (hipertensão, doença coronariana, diabetes adulto, derrame, problemas no rim e fígado , osteoartrite, apnéia do sono, problemas respiratórios, câncer no endométrio, de mama, de próstata e de cólon, dislipidemia, esteatohepatite, resistência à insulina, falta de ar, asma, irregularidades hormonais, síndrome do ovário policístico, infertiliade e dor nas costas.
No meio do documentário,meio de controvérsia, ele também entrevista um cara que ama o Big Mac desesperadamente, ele chega comer 9 no mesmo dia, mas raramente come batatas fritas, seu colesterol é 140…
Voltando a maratona de Morgan, faltando 8 dias para finalizar, seu médico praticamente o obriga a para a loucura, sua reação é ambígua, ele realmente demonstra estar perdido em relação ao que fazer? Se para ou continua?
Com muito esforço e muito ele termina sua meta, ele até aparece estar feliz no último dia no Mc Donald, ele aparece no meio da criançada, brincando, sorrindo…Particularmente, na verdade ele realmente estava contente! Pois não precisaria mais comer Mc lanches ou qualquer Mc coisas. É compreensível pois tudo que é demais não causa enjôo e não é bom…
Um mês depois, Morgan estava 11 quilos mais “gordo”, com disfunção hepática, com sintomas de depressão, seu nível de ácido úrico subiu muitíssimo, seu fígado ficou como de um alcoólatra. O seu condicionamento físico que fora elogiado nos exames que antecederam o experimento ficou péssimo, uma vez que ele combinou que não andaria mais que o americano médio consumidor de Big Macs anda por dia. Como ele reduziu sua atividade fisica quase a zero, nos dias finais do documentário era evidente o esforço sofrido ao subir simples escadas, também eram perceptíveis as palpitações e calafrios em pequenas caminhadas.
Depois de tudo isso, Morgan tenta falar com alguém da direção, inúmeras vezes, todas sem resultados, depois de mais ou menos seis meses, ele consegue ser atendido no telefone.
Que Davi venceu Golias naquela época da Bíblia ,podem ter certeza, porém que um Davi pequenino como Morgan Spurlock iria conseguir confrontar um gigante como a maior rede de fast Food do mundo. Eles fingiram que as mudanças no cardápio e na publicidade não tem a ver com Morgan, porém todas ela só virem depois do documentários.
Resumo

O filme, para a gastronomia em verdade, não é muito interessante a nível de aprender a cozinhar, porém para saber o que todo mundo basicamente já sabe, mas não quer aceita por vários motivos. Bom, Mas para a gastronomia, aprende se a nível de nutrição num aspecto que abrange diretamente a saúde jovens, adultos e principalmente as crianças do mundo inteiro.
No mundo inteiro, as pessoas acabam sendo condicionada a certos hábitos, mesmo sabendo que sabendo as consequências negativas são muitas, ás vezes pela rapidez ,ou pela conveniências, ou pela facilidade, ou mesmo pelo fato de muitos lugares teremo lugares especias para a crianças ou comprarem elas com brinquedinhos idiotas. Ás vezes é complicado comer num prato algo rápido, por isso o mundo acabou virando “sanduicheiro”, nesse caso pode se entender se isso acontece de vez em quando, mas os outros fatores são banais.
O produtor-diretor Morgan jogou alto por confrontar a maior de rede de fast food no mundo, ele foi muito inteligente em todos os sentidos, usando táticas de comparações durante o tempo todo, usando exemplos de entrevistas com pessoas na ruas, com problemas de saúde diretamente ligado por causa da alimento( obesidade,pressão arterial, problemas cardíacos e outros),ele entrevista também proprietários de empresas que sofreram consequências maléficas de saúde por causa do próprio negócio, além de mostrar restaurantes de escolas e comércio que ” rola” por trás!
O filme chega ser um pouco depressivo, mas vale a pena por tudo, em relação às rede de fast food em geral, apesar do próprio MC Donald não reconhecer que mudou seu cardápio por causa do filme de Morgan, isso foi verdade, e não só o essa rede, outros fast food foram de ” carona ” na história nas mudanças…Ainda bem.

Confira este filme completo no YouTube:

20130415-001436.jpg

20130415-001445.jpg

20130415-001453.jpg

Estômago

14 abr

O diretor Marcos Jorge acertou quando dirigiu estômago, pois o filme superou todas as expectativas o elenco: João Miguel, Fabiula Nascimento, Babu Santana, Carlo Briani, Zeca Cenovicz, Paulo Miklos, a produção foi de Cláudia da Natividade, Fabrizio Donvito, Marco Cohen, um super roteiro feito por Lusa Silvestre, Marcos Jorge, Cláudia da Natividade, Fabrizio Donvito,a trilha sonora: Giovanni Venosta, 112 minutos,2007, Brasil/ Itália, comédia Dramática , filme colorido.
“Na vida há os que devoram e os que são devorados” está é a frase- lema de Raimundo Nonato, o protagonista dessa história, um imigrante nordestino,recém chegado em Santa Catarina com o mesmo sonho de todos os outros,melhorar de vida. O personagem dele é tímido, meio sem graça,às vezes dá impressão de ter uma mente infantil, mas ao mesmo tempo meio diabólica.
O filme é passado em duas épocase em dois lugares diferentes, simultaneamente, é um vai e volta infinito que torna o filme ainda mais interessante e instigante, mas é um pouco difícil definir a conexão das cenas.Mas para ajudar a entender é o próprio protagonista que narra a história.
Ela chega no presídio, perguntam seu nome, ele responde mentalmente : Depois dá merda que eu fiz, tem que ser nome de assassino- Nonato Canivete, pensou.
Quando ele chega no sul, acaba entrando num bar, pede uma coxinha, mas não tem dinheiro para pagar, o patrão, um cara seções mal- humorado, fica uma fera, e com raiva o obriga a limpar a cozinha, essa que estava completamente suja e cheia de louças. O trabalho era tanto que ele acabou ficando para dormir num Quartinho medíocre. No outro dia ela começa a aprender fazer pastel, depois as suas coxinhas que deram fama ao bar e logicamente ao ele.Uma das prostitutas que frequenta o local,Íris uma glutona declarada acaba se apaixonado pelas coxinhas e Raimundo por ela, Iria.
Quando ele chega na cela tímido, vai sentar no chão, o único lugar que tem! Raimundo escuta eles reclamarem sobre a comida ruim do presídio, e no meio de conversa alguém pergunta se ele sabia cozinhar, e ele responde que era justamente isso que ele fazia.Após umas conversas ele começa explicar como transforma os pratos, usando sal, pimenta do reino, azeite e alecrim, esse último ninguém conhece e por causa disso vira o apelido dele na prisão.
Alecrim começa a cozinhar e agrada a todos,que ficam maravilhados com as suas transformações que ele consegue naquilo que era quase impossível ser comido.

No bar, agora não se achava mais lugar para sentar, chama atenção de Giovanni, dono do restaurante italiano, o Boccacio, este fica intrigado com o tempero do moço e o convida para trabalhar. No começo Raimundo faz rodeio, mas sabe que qualquer lugar é melhor de onde ele está, e ele acaba aceitando o emprego.
No presídio cada vez mais Alecrim vai se destacando e ganhando moral, e tudo por causa de sua gastronomia, e começa a perceber que ela lhe proporciona ” Poder” e tão logo consegue subir o andar da beliche da cela, somente por informação quanto mais alto mais poder, agora ele já está no do meio, Alecrim parece estar contente mais ao mesmo, resmunga o lugar de Bujiú ou Chef,o manda chuva da prisão.
Uma noite resolve visitar sua amada, Iria, na boate, onde ela trabalha, como ele é fraco para beber,fica completamente fora de si, quando ela aparece fazendo strip-tease, e acaba querendo quebrar tudo e é retirado pelo seguranças.
Profissionalmente, ele vai muito bem, Giovanni explica a ele sobre vinhos,queijos, temperos, ervas e principalmente carnes…Ainda seu patrão, muito conhecedor da bela gastronomia, para ensinar o aspirante a chef, explica a cozinha sendo uma verdadeira arte,fazendo como que os pratos fossem pinturas de Picasso. Ás vezes, Raimundo entende, ás vezes vezes rebate com perguntas mais Idiotas impossíveis.
Conseguindo conquistar o patrão, ele acompanha Giovanni nas compras para o restaurante e depois começa a fazê-la sozinho ou acompanhado de sua amada “meretriz “,por falar nela, numa noite ela visita Raimundo no trabalho, afim de filar uma bóia, e enquanto ele faz um espaguete, ele a pede em casamento, ,e está até se afoga de susto, ela aceita a ficar noiva, porém pressa para casar.
Na prisão, Bujiú quer agradar seu único superior, Etecetera, o Chef dos chefs de lá, e manda Alecrim pensar e organizar todos os detalhes para o tal dia. Bujiú avisa que o negócio será chique, que será na cozinha principal, e irá ter insumos do bom do melhor,incluindo bebidas também.
Num segunda feira quando é sua folga, pois o restaurante é fechado, vai ao antigo barnde tudo começou, convidar oficialmente o ex patrão para o jantar de noivado e também ser o futuro padrinho de casamento, o ex patrão aceita e Raimundo sai do bar “tirando sarro “que ele ainda não tinha aprendido o ponto das ” benditas coxinhas “.
No presídio, é domingo dia do grande banquete para o Etecetera, Alecrim e seus ajudantes,aliás todos bem caracterizados de cozinheiros, até de lenços na cabeça e aventais, a mesa está muito bem enfeitada com arranjos de frutas e decorada, para começar a comilança.
Alecrim entra todo “pomposo”entra em cena com uma garrafa de Chianti( vinho bárbaro italiano) na mão, mera perda de tempo pois os presos não tinha conhecem nada sobre vinho, e começa explicar como o vinho é feito, de onde vem, aliás ele dispara a falar e acaba falando que existia vinhos com cheiro de cachorro molhado, Etecetera ao escuta isso, pergunta que se estavam com brincadeira com ele para querem servir um vinho com um cheiro deste, e eles pedem cerveja, como não há ,pela sede apelam pela pinga feita pelos presos (Maria) com o famoso postura do Alecrim.
Desiludido e um pouco nervoso, Alecrim servi a entrada : Carpaccio com rúcula, lascas de parmegiano regiano e molho, Etecetera ao ver a carne crua, pergunta ao chef se podia demais uma passada no bife, pois estava cru, nessa cena triste e hilária ao mesmo tempo, Alecrim tenta explicar sobre o Carpaccio aos convidados, que rejeitam os pratos,e rapidamente estes são recolhidos para serem refeitos.
Raimundo vai a procura de sua namorada, no seu quarto,não achando, resolve visitar onde sua namorada faz ponto, as outras prostitutas falam que não a viram, e insinuam perguntando de ele não queria variar o cardápio…
E daí resolve voltar para o restaurante que estava fechado,pois era segunda-feira feira ,na entrada percebe que tem gente , quando olha pelo vidro, vê sua quase noiva com Giovanni , comendo felizes, dando muitas risadas, mas quando Raimundo vê sua amada beijando o italiano, fica com muita raiva, afinal, ela mesma disse que não beijava na boca por ética.
Friamente ele pega o vinho mais caro e tão desejado do seu patrão, um “super toscano “,italiano pelo métodos, porém feitos com uvas francesas,o Sassicaia; E bebe toda a garrafa, sem precisar de copo.
Alecrim servi os peixes,em seguida, as carnes,tudo separados, segundo ele não se pode misturar gostos misturados, precisa- se degustar um a um, para poder sentir o verdadeiro sabor. Nessa horas todos os presos lambem os dedos literalmente. Depois de muitos elogios, Bujiú pergunta se não tem um pouquinho de feijão, pois sem o feijãzinho nosso de cada dia, parece que ele não comeu nada! De súbito Alecrim prepara um prato e diz que fez especialmente para o chefe…
Raimundo friamente pega uma das melhores facas, a prepara e sobe, seguindo os ruído dos dois “pombinhos “.
O narrador Alecrim /Raimundo com sua e jeito peculiar de explicar as coisas, e começa dizer sobre que os médicos estudam tanto e sempre acham que tudo e virose, e de repente aparece a cena de Bujiú numa maca, sendo levado as pressas num corredor de um hospital.
O estado dele parece grave, pois ele aparece vomitando e com forte tosse, parecendo estar engasgado com algo. Nessa hora é o narrador fala satirizando, a sua antiga fala sobre os médico dizerem que Bujiú havia morrido de virose, ele diz eu pensei que fosse o veneno que coloquei no feijão.
Vestindo seu uniforme de cozinheiro, branquinho branquinho, ele aparece calmamente com uma frigideira ao fogo com um pedaço de carne arredondada.
Em seguida a cena vai para o quarto onde, iria e Giovanni faziam sexo, o quarto tinha sangue para todos os lados, o casal estava morto e ela estava de costa com um buraco das nádegas, justamente do tamanho do bife que Raimundo preparava.
A cena final é na prisão, onde Alecrim está pensando alto,deitado no antigo beliche de Bujiú, que havia morrido, contente por ser o novo chefe, porém ele mesmo se pergunta como seria o beliche de Etecetera? Ele mesmo pensa- ouvi falar que ele tem uma cela somente para ele.

Resumo

Já tinha assistido antes, mas agora para fazer o resumo, prestei mais atenção ainda; O filme é muito bom em todos os ângulos e sentidos. Acho que foi o melhor filme brasileiro e mais interessante que já vi.
Falando do fime, o Raimundo caiu na profissão, pegou gosto pela cozinha, usava lembranças de sua vida para trabalhar, tinha boa memória assimilando todos os seus segredos e combinações de seu aprendizado, não tinha medo de experimentar, testando novas receitas sempre, não tinha medo de misturar novos elementos.
Uma parte interessante é quando seu primeiro patrão, do boteco,o ensina a fazer pastéis e coxinhas, e as de seu Raimundo ficam melhores do que as de seu patrão, por que acontece isso? Porque para se cozinhar bem é preciso bem mais que saber a receita, é sabido que é preciso um conjunto de coisas e mais o aprendizado.
Na parte que Giovanni ensina Raimundo, é bárbara, ele passa que a gastronomia é literalmente uma arte completa, porém que precisa ser moldada e lapidada. E somente bons produtos que conseguem fazer bons pratos.
Num apanhado geral o filme também mostra, como no caso na cadeia, a dificuldade de se conseguir servir pratos ou bebidas muito elaboradas é muito difícil, às vezes as pessoas sem conhecimento gastronômico de outras culturas, não consegue se adaptar ao paladares por falta de costume e o medo do desconhecido, onde foi o caso de Alecrim servir o Carpaccio para os presos,eles não tinham o hábito de comerem carne crua e nem quiseram experimentar.

Confira este filme no YouTube:

20130415-001513.jpg

20130415-001521.jpg

20130415-001528.jpg

Fazendo as Malas

14 abr

Pode ser dizer que é um livro de turismo, mas digamos que é mesmo um guia gastronômico e dos bons, Fazendo as malas, de Danuza Leão, segunda edição, 2008, com 157 páginas, companhia das Letras, Editora Schwarcz, São Paulo.
É livro literalmente delicioso, além das descrições bárbaras dos pratos, e o jeito irreverente de Danuza contar as histórias é maravilhoso, é impossível não rir.No texto são passagem por 4 grandes cidades da Europa, Sevilha(Espanha ),Lisboa ( Portugal) ,Paris (França) ,Roma (Itália).
Acho que todo mundo ja tevê insônia! No caso de Danuza Leão, ela aproveitou para fazer o tempo passar,pensar ,depois que já tinha mudado todos móveis da casa, resolveu planejar uma viagem.Mas não era qualquer uma, ela queria algo que ele já conhecia, para relembrar os bons momentos dos lugares.
No dia seguinte ela parcela em 5 vezes no cartão os tickets, faz reservas no hotéis favoritos, e se preparou psicologicamente para fazer o que ela acha o mais difícil,particularmente eu também, fazer as malas.
Para Danuza, assim como várias pessoas,viajar é a melhor coisa do mundo, então por que não para uma super escritora ainda poder fazer esse livro-guia maravilhoso.
A primeira cidade de seu “tour”é a calorosa Sevilha, segundo ela a cidade mais colorida e alegre da Espanha, por si própria Sevilha é festeira, mas ao mesmo tempo religiosa. Na semana santa existe uma festa tradicional, a Feria, são como os desfiles de escola de samba aqui do Brasil, porém são inúmeras

irmandades. Existe as “casetas “, para entender melhor ainda o que é isso? São como os nossos chiquérrimos camarotes( Brahma, Antártica, Caras e entre outros), sempre todas decoradas e bonitas,são alugadas por famílias ou por empresas, para assistirem o cortejo passar. Justo por informação são mais ou menos 1500 ” casetas, e para se entrar somente com convite.
Na “Feria” recebem visitantes do país inteiro, e dos vizinhos também, ela começa na segunda feira e dura sete dias.Nessa festa é isso uma loucura, tem gente de todas as idades , todo vestidos em clima de festa, não se importando ser o sexo da pessoa.
As bebidas tradicionais são as seguintes: fino e manzanilha, não se sabem de onde vem ou por que? Segundo a autora a invenção das famosas “tapas espanholas” ,foi porque a almoço é somente as 3 horas da tarde e a ceia quase as 23:00, é muito espaço vago,por isso inventaram elas para intermedirem. Na Feria a principal tapa é presunto bellota, 36 meses curado,causando um dos melhores do mundo.
Além disso, Sevilha tem ainda a “Plaza de toros” com seus espetáculos e seus charmosos toureiros, ajudam enriquecer a cidade.
Com tanta energia a ser gasta, precisa-se muito de combustíveis, por isso come-se muito em Sevilha. Normalmente um despacho como entrada, em seguida ” huevos revueltos con chorizo ” e para finalizar camarões fritos no alho, regado a um vinho leve.
Danuza, culta como só ela, por falar de gastronomia com Espanha,não podia esquecer de citar o rei da
Cozinha molecular, um dos chefs mais importantes do mundo, Ferran Adrià.
Mas não é preciso ir somente nos restaurantes de alta gastronomia, mesmo nos lugares mais simples, encontra-se um monte de delícias inacreditáveis. A culinária está para todos os gostos assim para todos os precos.
Também tem uma coisa, depois de dançar,comer bem e ainda beber, é normal que os espanhóis precisem de uma coisa Boa siesta para revigorarem o corpo e a alma. No livro, Danuza ainda fala que nessa hora só tem estrangeiros na rua, o povo dorme mesmo. Sendo Sevilha a centro de Andaluzia, encontra -se muitos ciganos, aumentando ainda mais a tendência para seu ritmo o flamenco.
Tanto para a autora ou quanto para mim, simples leitora o lado mais importante numa viagem de turismo ou não é definitivamente a gastronomia, então vamos falar dos tipos de tapas citados no livro: fatia fina se pão, com fatia de presunto Serrano e finalizado com um ovo de codorna frito,tudo muita delicadeza; tem ainda pedacinho de peixe frito típicos da cidade; boquerones en vinagre(espécie de ceviches) ;buñuelos de chorizo (tipo de bolinho ou pode se dizer croquete frito recheado com lingüiça espanhola) ; huevos en salsa de anchoa (ovos com lingüiça ; montaditos de roquefort a la sidra( pão tostado com manteiga com roquefort, maçã e sidra) ; pan de brioche crocante ; patatas bravas( batatas em cubos crocantes em molho de tomate e salsa fresca picada) e sandalia de caravana( pão tostado com com um tipo . de lingüiça crua e mole e presunto ).
Vamos para Lisboa, engordar uns quilinhos segundo Danuza, mais ela enfoca também a siapatia e educação dos portugueses de lá. Chegando em Lisboa engorda,ela foi para um hotel perto da casa dos Maias, famoso livro de Eça de Queirós.
Para começar bem seu tour, ela reserva uma mesa no Tavares, compra uma peruca, e vai fazer hora no bar do hotel até chegar a hora do restaurante.Chegando no lugar luxuoso desde a hora entrada, esse é o restaurante mais antigo de Portugal, já foi cotado como um dos dez melhores do mundo.
O aperitivo, como não podia deixar de ser,foi um porto branco,também é muito injusto ir na terra do porto e beber um Martini ou campari. Por ser um resto gastronômico, normalmente o menu é muito degustação ou desassossego : Leilão da cabeça aos pés, peixe cozido na água do mar, costeletas de borrego (cordeiro) e segundo a jornalista, as melhores vieiras do mundo, Sobremesa
Oferecida 3 sushis de sorvetes(rosas, limão e chocolate apimentado ) toda essas maravilhas 225 euros.
No outro dia Danuza visita os lugares tradicionais de Sintra, come um borrego(cordeiro) com arroz de cabidela (é feito com sangue do animal, o mais conhecido é o de galinha) ,para sobremesa queijadinhas quantias típicas.
Ir a Lisboa e não ir comer os pastéis de Belém, é feito sacrilégio, pois eles são uma instituição nacional, existem pastéis de quase no mundo inteiro. Depois disso a autora brinca que se morasse lá atingiria 110 kl.
Danuza ainda cita em seu livro, várias expressões sobre jeito diferentes do português falar a língua portuguesa. E para fechar com chave de ouro o passeio a Portugal, ela vai visitar Queluz e Évora, e é lá que resolvem comer num restaurante chamado ” tasquinha do Oliveira, vamos ao estrondoso cardápio:Entrada : orelhas de porco,fava com chouriço, cogumelos assados, amargos verdes com couro ovos mexidos, ovos de codorna com pato, gambas panadas, pimentos com bacalhau, alcachofra com presunto, ovas de peixe, sopa de cação; Os pratos com peixe: carapaus de escabeche, bacalhau( com grãos, na canoa,feito feijoada) ,cação de coentrada, Açorda alentejana(espécie de caldo feito com ovos, alho coentro comido com pão), suflê de gambas com espinafre, pargo ao forno; Os pratos com carne : borrego( ensopado, assado), cabrito assado, migas com entrecosto, arroz de lebre, cozido de grão,lebre com feijão e nabo,arroz de pombo bravo,perdiz à tasquinha e bochecha (é bochecha mesmo) de porco preto( mesmo que se faz famoso presunto pata negra, o melhor do mundo); Sobremesa : todos os doces portugueses. Ainda a autora diz que é melhor chamar uma ambulância, invés do táxi…
Ainda em Lisboa, Danuza visita uma tasca ( são pequenos bares,onde se toma vinho de pé e belisca tremoços ou azeitonas, são tradicionais nessa região) e ouvir um bem fado.

Conexão direto a cidade Luz,Paris, a reserva de Danuza gosta sempre no mesmo hotel, ela se sente bem em lugares que já conhece as pessoas,ela afirma que lá as coisas e comércio nunca mudam, assim é sempre mais fácil para achar o que se precisa.
Para uma mulher, ir aParis e pelo menos passar pelas vitrines, isso sim é uma penúria. Imagina, não passear pela galeria do Lafayatte, como diriam os franceses,ça se dommage! (isso é uma pena).
Porém para comprar algo de marca, em Paris é caro, os preços estão abusivos bem mais que antes.
Vamos para a melhor parte : a escola da gastronomia do mundo.Em Paris qualquer lugar qualquer lugar para comer é bom, desde os lugares que vendem sanduíches com baguette, os simples crepes,croque-monsieur (um misto quente no pão de forma, coberto com béchamel queijo ralado grosso) , gauffres( quase churros ) e muitos outros.
Mas é necessário também provar um pouco das divindades francesas, a autora começa com uma vodca com pimenta, de entrada uma assiette aux trois harengs (três tipos de arenque com creme,cebolas fininhas e alcaparras), em seguida lembrando a”festa de Babette “(palavras minhas),os blinis(tipo de mini panqueca ) com caviar de salmão e molho azedo. Num outro dia ela foi conhecer o hotel George, um dos mais chiques do mundo; No mesmo dia passeou pelos arredores da Louis Vuitton, ficou abismada com os preços, relatando todos os detalhes no livro.

Paris mesmo com sua rica cozinha,possui restaurantes das outra nacionalidades,desde do simples pizzaria, as mais complexas cozinhas internacionais.
Outro lugar que pode se comer muito bem na França inteira, mais principalmente em Paris são os Bistrôs, assim como Danuza as pessoas adoram eles, onde come-se bem, tem higiene, não são os caros e em quase todos é possível comer tudo que há de melhor na gastronomia local. Além disso, o ambiente é mais simples,todo mundo conversa com todo mundo, e pode-se simplesmente pedir um café e ficar a tarde inteira lendo um livro…
Bom, se nesse release descrever todos os bistrôs e restaurantes e suas respectivas guloseimas extraordinária de Paris, estarei escrevendo o livro, e não é essa a intenção, caso contrário a autora do Fazendo as malas, irá processar me por plágio; Então vou descrever os pratos degustados e somente alguns irresistíveis comentários.
Há sempre uma especialidade para cada lugar e para todos os gostos, pode-se comer tutano de boi no pão de campagne torrado, ostras e frutos do mar, foie gras, frango assado com fritas, cuscuz, beignets de cervelle (miolos empatados), rognons fatiados, filé rossini com foie gras, baba fondant, cochonnerie, beignets de berinjela, sardinhas e anchovas com molho de ouriço do mar, tomar o melhor chocolate acompanhado mont-Blanc (creme de castanho com bastante chantilly ), ravioli de foie gras,araigneé de mer(espécie de siri gigante ) ,langoustines en beignets,

filé de peixe com creme de erva-doce, pombo desossado dourado recheado com champignons ,creme de amêndoas com framboesas, um esplêndido soufflé aux Grande Manter e cada de tangerina.
Numa parte do livro ela dá dicas de compras dos melhores dos melhores de Paris por especialidades : Café, caviar,chocolates, foie gras, queijos, aves, ostras e muitas outras “coisitas mas”, a lista é imperdível.
Mas o menu da melhor cozinha dá França, três estrelas no Guia Michelin, o L’Ambroisie é claro ravióli de lagosta, ovos pochés coberto por uma musse de aspargos verdes,com uma colher de caviar Osciètre ao lado,um folhado de trufas (na estação) uma fatia de foie gras,mil folhas de sorvetes de pêras e ainda uma iguarias dos melhores queijos.
Esses maravilhosas gourmandise Danuza provou em vários lugares diferentes e também vários dias é claro, algumas vezes são de outras viagem anteriores, teve lugares nos quais ela cita que foram somente para beber algo e aproveitar a noite parisiense. Lembrando, apesar de sua importante gastronomia, os franceses , num geral saem para os cafés a noite somente para beber,conversar ou simplesmente sair de casa e os turistas para aproveitar a cidade.

No livro de Danuza ainda ela dá dicas onde comprar bons sapatos,nomes de brechós excêntricos e simples, de cabeleireiros, hotéis chiquérrimos e não , empórios e enfim até um pouco do roteiro turísticos.
Agora, Danuza vai ao lugar dos homens mais galanteadores do mundo, Roma, essa cidade dá itália, na verdade é um país dentro de outro país dentro,e cheio de turismo, história, monumentos e “bonna gastronomia”. Ela aproveita para rever antigos amigos e fazer novos..
Ela observa, comenta sobre o seu hotel e muitos hotéis de simples a tradicionais , palácios, a moda dos chiquérrimos romanos, os carros, acontecimentos singulares e engraçados, sobre a importante fidelidade dos italianos na sua gastronomia( cada região tem seu queijo,suas trufas,seus vinhos,sua massas e tradições ).
No Império romano, a cultura é rica e quase infinita para Danuza,porém o trânsito é o pior do mundo segundo ela; Em Roma, ela não cita nomes dos pratos italianos, somente o nome e a descrição dos restaurantes.
A última parte do livro é destinada para os endereços, telefones e sites de internet, tudo separadinho, por cidades e por tipo de comércio.Quer mais? Compre o livro…
Resumo chouchou

Como li várias vezes esse livro,e cada vez gostar mais de uma parte dele, pois quando li antes de fazer gastronomia, gostava das partes dos restaurantes, mas ainda era muito complicado os nomes e cada observação de Danuza; Agora ler esse livro no quarto semestre do curso de gastronomia, além bem depois de todos os livros e filmes que vi, estou me sentindo na nuvens, somente alguns nomes de tapas de Sevilha, que fui obrigada a procurar no google, o resto eu sabia tudo.
Não posso negar, que fiquei com fome tantas vezes , e tive que assaltar de praxe a geladeira, mas o que a gente não faz por amor(Marisa Monte)… E como sou apaixonada por vinhos, porém não alcoólatra, várias vezes também, bebi alguns cálices depois ou durante a leitura.
Gastronomicamente,o livro é bárbaro,acho que não é bárbaro preciso repetir o aprendizado,pois ele é um todo.E o outro lado bom do livro,aprende-se a degustar e aproveitar de quase tudo, não precisando necessariamente os produtos ou serviços em gerais serem caros, para terem valores, o importante é muito mais o complexo em si e o bem estar das pessoas envolvidas.

20130415-001601.jpg

20130415-001611.jpg

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.